JUQUIÁ para TODOS


Presentes

Vamos falar de gente, de pessoas. Existe, acaso, algo mais espetacular do que gente?
Pessoas são um presente... Algumas vêm em embrulho bonito, ou em embalagem comum.
E há as que ficaram machucadas no correio... Eventualmente chega uma registrada. São os presentes valiosos. Algumas pessoas trazem invólucros fáceis. De outras, é dificílimo, quase impossível tirar a embalagem. É fita durex que não acaba mais..... Mas... A embalagem não é o presente. E tantas pessoas se enganam, confundindo a embalagem com o presente. Por que será que alguns presentes são tão complicados para a gente abrir? Talvez porque dentro da bonita embalagem haja muito pouco valor. A decepção seria grande. Somos presente um para o outro. Você para mim, eu para você. Triste, se formos apenas um presente-embalagem: muito bem empacotados e quase sem nada lá dentro! Quando existe o verdadeiro ENCONTRO COM ALGUÉM, deixamos de ser mera embalagem e passamos à categoria de reais presentes. Nos verdadeiros encontros, acontece alguma coisa muito comovente e essencial: mutuamente nós vamos desembrulhando, desempacotando, revelando. Essa alegria profunda que nasce do recôndito de uma alma, quando duas pessoas se encontram, se comunicam, virando presente uma para outra.
Conteúdo interno é o segredo para quem deseja tornar-se presente e não apenas embalagem...

Cabral.


Escrito por Por CABRAL às 22h27
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Municípios
Todos os municípios brasileiros foram convidados a aderir ao PDE-Plano de Metas Compromisso Todos pela Educação e responderam positivamente. Com a adesão, que é feita apenas uma vez, os 5.563 municípios assumiram o compromisso de fazer o diagnóstico da situação educacional local e elaborar o PAR-Plano de Ações Articuladas.

O MEC já analisou mais de 2.000 Planos de Ações Articuladas e, em 19 de maio de 2008, assinou termo de cooperação técnica com estes municípios, os quais já estão sendo beneficiados com as ações de apoio técnico. Naquela data, também foram assinados alguns convênios para apoio financeiro aos municípios, voltados para construção de escolas de educação infantil e de escolas de ensino fundamental (urbanas e rurais), compra de ônibus escolares, mobiliário e equipamentos, entre outras.

Os municípios que não receberam a visita de técnicos do MEC podem elaborar o PAR autonomamente. Para isso, devem buscar as informações e documentos necessários no portal do MEC.

(http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&task=view&id=8658&Itemid=&sistemas=1) clicando no item PAR.


Escrito por Por CABRAL às 10h35
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Um só time

Há alguns anos atrás, nas Olimpíadas Especiais de Seattle, nove participantes, todos com deficiência mental ou física, alinharam-se para a largada da corrida dos 100 metros rasos. Ao sinal, todos partiram, não exatamente em disparada, mas com vontade de dar o melhor de si, terminar a corrida e ganhar.
Todos, com exceção de um garoto, que tropeçou no asfalto e caiu rolando começando a chorar. Os outros oito ouviram o choro. Diminuíram o passo e olharam para trás.
Então eles viraram e voltaram. Todos eles. Uma das meninas, com Síndrome de Down, ajoelhou, deu um beijo no garoto e disse: "Pronto, agora vai sarar". E todos os nove competidores deram os braços e andaram juntos até a linha de chegada.
O estádio inteiro levantou e os aplausos duraram muitos minutos. E as pessoas que estavam ali, naquele dia, continuam repetindo essa história até hoje.
Porque?
Por que, lá no fundo, nós sabemos que o que importa nesta vida é mais do que ganhar sozinho. O que importa nesta vida é ajudar os outros a vencer, mesmo que isso signifique diminuir o passo e mudar de curso.


Escrito por Por CABRAL às 01h13
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




E a nossa Saúde Municipal em $$$$ Vindos do Fundo Nacional, ou melhor independente de convênios

1 PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA BÁSICA 23.127,44
2 FAEC - COLETA DE MATERIAL 35,00
3 FAEC - COLETA/EXAME ANÁTOMO-PATOLÓGICO COLO UTERINO 617,00
4 FAEC - INCENTIVOS AO PRÉ-NATAL E NASCIMENTO 2.770,00
5 TETO MUNICIPAL DA MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE AMBULATORIAL E HOSPITALAR 619.926,88
6 PAB FIXO 253.404,40
7 AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE - ACS 71.253,00
8 SAÚDE BUCAL - SB 13.600,00
9 SAÚDE DA FAMÍLIA - SF 91.800,00
10 CAMPANHA DE VACINAÇÃO DO IDOSO (INFLUENZA) 698,25
11 CAMPANHA NACIONAL DE VACINAÇÃO CONTRA A RUBÉOLA 1.738,50
12 TETO FINANCEIRO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE - TFVS (EX-TFECD) 24.846,56
13 AÇÕES ESTRUTURANTES DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA 6.193,17
14 PISO ESTRATÉGICO - GERENCIAMENTO DE RISCO DE VS 612,16
15 PISO ESTRATÉGICO - GERENCIAMENTO DE RISCO DE VS - PRODUTOS/SERVIÇOS 2.496,72

TOTAL R$ 1.113.119,08
Só no ano de 2008 R$ 1.071.926,03

Por CABRAL


Escrito por Por CABRAL às 18h54
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




GRATIDÃO



No mês de agosto de 2001, Shakir (nome fictício), um bem sucedido empresário judeu, viajou para Israel a negócios.
Na quinta feira, dia nove, entre uma reunião e outra, o empresário aproveitou para ir fazer um lanche rápido em uma pizzaria na esquina das ruas Yafo e Mêlech George no centro de Jerusalém.
O estabelecimento estava superlotado. Logo ao entrar na pizzaria, Shakir percebeu que teria que esperar muito tempo numa enorme fila, se realmente desejasse comer alguma coisa - mas ele não dispunha de tanto tempo.
Indeciso e impaciente, pôs-se a ziguezaguear por perto do balcão de pedidos, esperando que alguma solução caísse do céu.
Percebendo a angústia do estrangeiro, um israelense perguntou-lhe se ele aceitaria entrar na fila na sua frente.
Mais do que agradecido, Shakir aceitou. Fez seu pedido, comeu rapidamente e saiu em direção à sua próxima reunião.
Menos de dois minutos após ter saído, ele ouviu um estrondo aterrorizador.
Assustado, perguntou a um rapaz que vinha pelo mesmo caminho que ele acabara de percorrer o que acontecera. O jovem disse que um homem-bomba acabara de detonar uma bomba na pizzaria Sbarro`s.
Shakir ficou branco. Por apenas dois minutos ele escapara do atentado.
Imediatamente lembrou do homem israelense que lhe oferecera o lugar na fila.
Certamente ele ainda estava na pizzaria. Aquele sujeito salvara a sua vida e agora poderia estar morto.
Atemorizado, correu para o local do atentado para verificar se aquele homem necessitava de ajuda. Mas encontrou uma situação caótica no local.
Além do terrorista, de vinte e três anos, outras dezoito pessoas morreram, sendo seis crianças. Cerca de outras noventa pessoas ficaram ferida, algumas em condições críticas.
As cadeiras do restaurante estavam espalhadas pela calçada. Pessoas gritavam e acotovelavam-se na rua, algumas em pânico, outras tentando ajudar de alguma forma.
Entre feridos e mortos estendidos pelo chão, vítimas ensangüentadas eram socorridas por policiais e voluntários. Uma mulher com um bebê coberto de sangue implorava por ajuda.
Um dispositivo adicional já estava sendo desmontado pelo exército.

Shakir procurou seu "salvador" entre as sirenes sem fim, mas não conseguiu encontrá-lo.
Ele decidiu que tentaria de todas as formas saber o que acontecera com o israelense que lhe salvara a vida. Shakir estava vivo por causa dele.
Precisava saber o que acontecera, se ele precisava de alguma ajuda e, acima de tudo, agradecer-lhe por sua vida.
O senso de gratidão fez com que esquecesse da importante reunião que o aguardava.
Ele começou a percorrer os hospitais da região, para onde tinham sido levados os feridos no atentado.
Finalmente encontrou o israelense num leito de um dos hospitais. Ele estava ferido, mas não corria risco de vida.
Shakir conversou com o filho daquele homem, que já estava acompanhando seu pai, e contou tudo o que acontecera. Disse que faria tudo que fosse preciso por ele. Que estava extremamente grato àquele homem e que lhe devia sua
vida.
Depois de alguns momento, Shakir se despediu do rapaz e deixou seu cartão com ele. Caso seu pai necessitasse de qualquer tipo de ajuda, o jovem não deveria hesitar em comunicá-lo.

Quase um mês depois, Shakir recebeu um telefonema em seu escritório em Nova Iorque daquele rapaz, contando que seu pai precisava de uma operação de emergência. Segundo especialistas, o melhor hospital para fazer aquela delicada cirurgia fica em Boston, Massachussets.
Shakir não hesitou. Arrumou tudo para que a cirurgia fosse realizada dentro de poucos dias.
Além disso, fez questão de ir pessoalmente receber e acompanhar seu amigo em Boston, que fica a uma hora de avião de Nova Iorque.
Talvez outra pessoa não tivesse feito tantos esforços apenas pelo senso de gratidão.
Outra pessoa poderia ter dito "Afinal, ele não teve intenção de salvar a minha vida: apenas me ofereceu um lugar na fila ..."
Mas não Shakir. Ele se sentia profundamente grato, mesmo um mês após o atentado. E ele sabia como retribuir um favor.´




Naquela manhã de terça-feira, Shakir foi pessoalmente acompanhar seu amigo e deixou de ir trabalhar. Sendo assim, pouco antes das nove horas da manhã, naquele dia onze de setembro de 2001. Shakir não estava no seu escritório no 101º andar do World Trade Center Twin Towers.

(Relatado em palestra do Rabino Issocher Frand)


Escrito por Por CABRAL às 18h15
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Bem Vindos.

Escrito por Por CABRAL às 15h29
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]




Bem Vindos.

Escrito por Por CABRAL às 15h28
[   ] [ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]


 
Histórico
Outros sites
  ((( CABRAL )))
  BOL - E-mail grátis
  UOL - O melhor conteúdo
   Câmara de JUQUIÁ
   IBGE dados de JUQUIÁ
  Tv Tribuna
Votação
  Dê uma nota para meu blog